Divulgação: Quinta do Pôpa acrescenta dois ‘Contos da Terra’ ao seu portefólio

Nota de imprensa


Quinta do Pôpa acrescenta dois ‘Contos da Terra’ ao seu portefólio

Quem conta um conto, acrescenta um ponto. No Douro a lógica é a mesma, mas a história um pouco diferente. O produtor de vinhos Quinta do Pôpa vai acrescentar dois Contos da Terra ao seu portefólio. Depois do Contos da Terra Tinto 2011, chegou a vez da nova colheita do branco e de uma novidade, o lançamento do rosé, ambos da última vindima.

Divulgação: Quinta do Pôpa acrescenta dois Contos da Terra ao seu portefólio - reservarecomendada.blogspot.pt

Para Stéphane e Vanessa Ferreira, proprietários e embaixadores da Quinta do Pôpa, projecto que nasceu para homenagear o seu avô: Uma história bem contada inunda sonhos. Transporta-nos para aventuras que tornam a vida mais intensa e une as pessoas à terra. Porque é da terra, da nossa, aquela que o Douro atravessa, que chega este vinho proveniente de uma selecção das melhores uvas da nossa região, para proporcionar a experiência de um vinho cheio de juventude, de aroma intenso e frutado, capaz de fazer recordar os saborosos Contos da Terra..

O Contos da Terra Branco 2013 tem um pouco mais do terroir do Douro. Feito sob a batuta do enólogo duriense Francisco Montenegro, resulta do blend de quatro castas autóctones, o Viosinho, o Rabigato, o Cerceal e o Folgazão. 6.666 garrafas de um branco com aromas de fruta, com destaque para melão e meloa maduros, amêndoa, pêra e toques florais no final. Na entrada de boca é macio; é fresco, volumoso, suave, frutado e guloso. Tem uma acidez que equilibra a estrutura do vinho. Para beber a 10-12.ºC a solo ou a saborear um peixe grelhado ou assado e aves.

O novo Contos da Terra Rosé resulta da sangria de mosto das melhores parcelas das castas Touriga Nacional e Tinta Roriz, sendo feita apenas uma pequena maceração para extracção de cor. Foi fermentado a temperaturas de 16 a 18 graus durante 23 dias, dando origem a um vinho salmão escuro com aroma a morango (geleia) e goiabada. No paladar revela-se um rosé com entrada macia e suave, mantendo-se o sabor a morango. É um vinho fácil e directo com um final de boca fresco. Ideal para harmonizar com saladas, massas ou como aperitivo.

PVPs recomendados
Contos da Terra Branco 2013: € 4,50
Contos da Terra Rosé 2013: € 4,50


Quinta do Pôpa convida para pic-nic com vista rio na encostas do Douro

Já alguma vez fez um pic-nic em plena encosta vinhateira e com uma privilegiada vista sobre o rio Douro? Não? Então não perca a oportunidade e aceite a proposta da Quinta do Pôpa, situada nos socalcos de uma das mais belas estradas do mundo, a EN 222, que liga a Régua ao Pinhão. Reserve já, ou até Outubro, o seu cesto de pic-nic e desfrute de uma experiência única, a dois num momento mais romântico, entre amigos ou em família num dia diferente. O local de paragem escolha depois e a gosto!


A Quinta do Pôpa convida a partir à aventura entre vinhas e vinhedos, cantos e recantos; quando encontrar o seu hotspot, estenda a manta e deguste as iguarias que lhe foram preparadas. Se prefere uma refeição à mesa, mas com a mesma paisagem e enquadramento, a Quinta do Pôpa tem a solução: almoce ou jante no terraço ou na sala de provas, sempre sem perder o rio Douro do seu alcance.

A oferta é variada e feita à medida de cada clientes; a partir de € 25,00, com um cesto de pic-nic para duas pessoas. Obrigatória é a reserva antecipada, através dos telemóvel 916 653 442 ou do e-mail turismo@quintadopopa.com (Leila Freitas).


Quinta do Pôpa lança nova colheita do seu Vinhas Velhas

Depois dos monocastas Tinta Roriz e Touriga Nacional da colheita de 2009 é agora a vez da Quinta do Pôpa completar o trio dos seus vinhos topo de gama, com o lançamento do Pôpa VV tinto 2009, um vinho bastante especial com origem em vinhas com idade superior a 80 anos plantadas nos socalcos da Quinta em pleno Alto Douro Vinhateiro, em Adorigo.


Embora proveniente de Vinhas Velhas, compostas uma mescla variada, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Amarela, Tinta Roriz e Sousão são as castas que se destacam no Pôpa VV, um vinho com estágio em barricas de 225 litros de carvalho francês durante oito meses.

O Pôpa VV tinto 2009 revela-se intenso e complexo no aroma, predominando notas de bagas silvestres e especiarias envoltas em sensações tostadas. No paladar é um vinho estruturado e vinoso, salientando-se as sensações balsâmicas e tostadas do estágio em barrica, em perfeita harmonia com a fruta negra e densa em fundo, característica da parcela de Vinha Velha de onde é proveniente. Na mesma garrafa conjuga-se concentração, complexidade e elegância.

O preço deste Vinhas Velhas duriense é de € 22,00 para garrafas de 750 ml, mas está também disponível em magnuns, por € 51,00.


Sobre a Quinta do Pôpa:
A Quinta do Pôpa é uma janela sobre o rio Douro. Propriedade duriense produtora de vinhos localizada na encosta da EN 222, no concelho de Tabuaço, em pleno Alto Douro Vinhateiro. O nome e história desta Quinta simbolizam a realização de um sonho que tem passado de geração em geração, homenageando Francisco Ferreira, mais conhecido como Pôpa: o seu filho adquiriu parte da propriedade em 2003, mas hoje são os seus netos – Stéphane e Vanessa Ferreira – que estão nos comandos da Quinta do Pôpa, com o objectivo de produzir vinhos de qualidade superior. Um projecto familiar que conta com a expertise do enólogo bairradino Luís Pato e do duriense Francisco Montenegro. Com uma área total de 30 hectares, dos quais catorze são de vinha (três de vinha velha com mais de 60 anos), composta por uma mistura de nobres castas tintas, todas de letra A. Na produção conciliam-se as técnicas mais sofisticadas com séculos de rigorosa tradição, como a vinificação através da pisa a pé em lagares de granito a uma temperatura controlada; e na construção de uma marca com personalidade e qualidade, criada através da sua história e do casamento harmonioso entre a terra e o clima que o seu terroir tem para oferecer. O portefólio deste produtor duriense reúne as marcas Contos da Terra (branco e tinto), Preffácio (branco, tinto e rosé) e Pôpa (dois monovarietais – Tinta Roriz e Touriga Nacional; um Vinhas Velhas; e um vinho doce tinto). Para além do tinto de seu nome PaPo (ou Trepa, quando falamos do mercado internacional).

Este é um artigo de divulgação cujo conteúdo é da inteira responsabilidade do produtor ou promotor do produto ou serviço divulgado. O blogue Reserva Recomendada divulga esta nota de imprensa na convicção de que poderá ser útil aos seus leitores embora o seu conteúdo possa não corresponder à opinião e linha editorial do autor deste blogue.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts with Thumbnails Follow my blog with Bloglovin